Subcisão É o Melhor Tratamento Para Estrias? Entenda Tudo Aqui!

Tempo de leitura: 7 minutos

Entenda tudo sobre o processo de Subcisão e qual o Melhor Tratamento Para Eliminar Estrias de Forma 100% Natural e Sem Riscos a Sua Saúde!

O que é Subcisão

Subcisao

As estrias são um problema bastante comum, independente de sexo, levando à busca de tratamentos estéticos.

O objetivo é amenizar ou mesmo eliminar estas marcas que são resultantes da falta de fibras elásticas e colágenas em algumas áreas do corpo, promovendo o aparecimento na pele de indesejáveis furinhos e linhas.

Mesmo com os tratamentos já disponíveis e as inovações, o ideal é apostar em um trabalho preventivo em relação às estrias. A prevenção ainda é o melhor tratamento.

Cautela na perda ou ganho de peso rápido pode ajudar a evitar o aparecimento de estrias, especialmente em grupos de alto risco, como os adolescentes e gestantes.

A hidratação adequada no local e alguns ativos muito usados em cosméticos como a vitamina C, ácidos de frutas, retinol, óleo de semente de uva, de rosa mosqueta, ajudam a inibir o desenvolvimento das estrias.

Mas, caso as estrias já tenham se instalado, um dos tratamentos existentes no mercado é a subcisão.

É uma técnica simples, com a intenção de estimular o processo de produção de fibras da pele.

Subcisão, ou cirurgia subcutânea sem incisão, é um método utilizado em cirurgia dermatológica para tratamento de alterações do relevo da pele, como as estrias.

É realizado por dermatologista ou cirurgião plástico capacitado. O uso de anestesia depende, principalmente, da dimensão do local a ser tratado.

O local é anestesiado com xilocaina 2% e em seguida introduzida uma agulha especial na pele e na região derme/hipoderme, fazendo movimentos de vai e vem que estimulem o local e acentuem o mecanismo de regeneração do tecido, havendo então maior produção de fibras.

Caso os pacientes demandem uma área mais extensa utilizando o tratamento, a anestesia poderá ser peridural ou geral. Neste caso, será feita em ambiente hospitalar.

Através de instrumentos cirúrgicos adequados, penetra-se na porção mais profunda da pele, deslocando-a e soltando-a, nos locais em que estão com aspecto retraído ou repuxado.

A agulha de subcisão utilizada é especial, pois tem uma espécie de lâmina de bisturi muito delicada na sua ponta.

O resultado final será visto dois a três meses depois, quando então a pele completou todo o processo.

A subcisão não deve ser repetida em períodos menores do que dois meses no mesmo local, porque ainda não seria possível avaliar os resultados.

A formação de hematoma é importante pois tem relação com a agressão que foi feita à pele. Devem ser tomados cuidados locais com as roupas, traumas e falta de higiene para que não haja infecção local.

O tratamento deve ser feito associado a outras técnicas, pois existe um risco de escurecimento da pele sem falar na lesão que pode dar aparecimento a outra cicatriz.

Preferencialmente, as sessões devem ser feitas uma por cada mês e deve se ter um cuidado muito especial com as áreas tratadas.

Busque um profissional devidamente qualificado para realizar o tratamento de subcisão, para que a situação não se agrave ainda mais.

O que tratamos com a subcisão?

Com o método de subcisão podemos tratar cicatrizes de acne, estrias, rugas fixas e cicatrizes traumáticas. Entretanto, tudo depende da gravidade de cada alteração: estrias muito finas e celulites de grau leve, por exemplo, não se beneficiam com a técnica.

Como age a subcisão?

Ao se penetrar na pele com alteração de relevo através de pequena incisão, o instrumento cortante consegue provocar o rompimento das traves fibróticas que promovem a depressão na pele, através de movimentos circulares e de vai-e-vem.

Além de liberar a pele, a subcisão promove a formação de uma coleção de sangue (hematoma) pelo rompimento de pequenos vasos sanguíneos, abaixo da lesão  tratada.

O hematoma provocado, além do trauma e do processo inflamatório, vai ajudar na produção de um colágeno novo e mais bem organizado; colágeno que vai preenchendo o local tratado, dando aspecto de relevo mais uniforme à pele.

O colágeno novo gerado, é chamado de preenchimento autólogo, pois se utiliza material próprio do paciente como material preenchedor.

Como a produção de colágeno é lenta, observa-se melhora progressiva do aspecto estético dessas lesões alguns meses após o tratamento de subcisão.

Quais são as contraindicações à subcisão?

Antes de se submeter à subcisão, informe ao seu dermatologista sobre as medicações que você faz uso, história de tabagismo, problemas de cicatrização ou queloides em outras cirurgias, alergia a medicações e deficiências nutricionais.

Indicar incorretamente o tratamento de subcisão, é a maior das contraindicações. O uso da técnica em determinados tipos de cicatrizes pode até agravar a lesão, por isso uma avaliação criteriosa por um especialista é muito importante para se obter bons resultados.

Outras contraindicações são: problemas de coagulação, doenças sistêmicas descontroladas (como o diabetes), infecção ativa no local e expectativas irreais em relação ao procedimento de subcisão.

Como é o pós-operatório da subcisão?

Após esse procedimento, é normal ocorrer inchaço e hematomas nos locais tratados.

No caso da subcisão realizada em abdômen ou glúteos (subcisão para celulite), recomenda-se usar cintas compressivas por um mês para se delimitar a extensão do hematoma e promover uma recuperação mais rápida.

Para os pacientes que se submetem ao tratamento de subcisão, também se orienta evitar atividades físicas por volta de 2 semanas.

A exposição solar no local tratado é contraindicada enquanto durarem as manchas roxas, que costumam estar presentes em torno de até 3 semanas.

Quais são as possíveis complicações da subcisão?

Após o procedimento de subcisão, podem ocorrer manchas na pele, cicatrizes, milium (carocinhos brancos na pele) e necrose cutânea em alguns casos. Por isso é importante que o procedimento seja realizado com indicação, avaliação e técnica corretas.

O que se pode esperar de resultados após o tratamento de subcisão?

Como a subcisão é um procedimento cirúrgico, a pele precisa se recuperar após a intervenção para, depois, se observar resultados. A produção e depósito de colágeno são processos lentos, começando em 1 mês e tendo pico de produção em 9 meses.

Mas em torno de 3 meses já se observa melhora das alterações tratadas. O resultado obtido com o processo de subcisão também varia de acordo com a capacidade de retração da pele de cada paciente, bem como tamanho, profundidade e localização das lesões.

A depender de cada caso, podem ser indicadas 3 a 6 sessões de subcisão, com intervalos de 1 a 2 meses.

Devido ao estímulo de produção de colágeno e elastina, o esperado é que essas alterações de relevo se amenizem ou até sumam com o tratamento.

Então, meninas!!

Com este post vocês conheceram mais um método para o tratamento de estrias. Como vários outros, a subcisão pode ser um tratamento viável, mas possui seus riscos.

Uma outra alternativa para o tratamento de estrias é o método Adeus Estrias, 100% natural e muito eficaz. Ele mostra como evitar ou combater as estrias, sem utilização de aparelhos ou química.

São fórmulas naturais, com ingredientes encontrados facilmente no mercado e a custo baixo.

Para saber mais sobre qualquer outro tratamento mecânico ou químico que você queira fazer, uma verdade é certa: terá no mínimo, o custo da consulta com um especialista.

Para maiores informações sobre o método Adeus Estrias, realmente você não paga nada.  Considere a ideia de resolver seu problema de forma saudável e indolor.

Clique no link abaixo e dê uma conferida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *